Image Image Image Image Image
Scroll to Top

Topo

Ventos

Redemoinho

que sopra em semitom

no meu compasso.

A forma mais perfeita

Um dia, faz muitos anos,

a menina sonhou promessas

com a forma mais perfeita

da lucidez da infância.

*

Agora, nas pedras do passeio,

escorrem saudades…

Uma promessa precisa de tempo,

invernos e verdades

até ser pormenor de esquecimento.

Fragmento

 

O meu sonho assim é que me quer

: apenas um espasmo!

 

Um fragmento narrativo

de poesia e circunstância

que palpita nesse morrer constante

entre o gozo e o espanto

pelo tempo em que se sustente a ficção.

 

O meu sonho assim é que me quer

: apenas um bocado de mundo

que habita o aconchego do inequívoco,

solúvel na certeza da vida que não basta.

 

E não há limites para ela…

 

Nesse tempo de existir qualquer,

por hábito ou falta de coragem,

o meu sonho assim é que me quer.

O poeta do desassossego

 A associação cultural Art Institute leva Fernando Pessoa e seus heterônimos para o MoMa, Museu de Arte Moderna de Nova Iorque.

Com o ciclo “Pessoa in New York”, a organização cultural reunirá uma série de conferências e leituras entre os dias 13 e 17 de abril, assim como a exibição do filme “O livro do desassossego”, de João Botelho.

 

Uma linguagem própria

“I can scarcely move
Or draw my breath”

The cold song by Klaus Nomi

Ilusão ou Realidade?

T. Williams by Yousuf Karsh T. Williams by Yousuf Karsh

Depois de muito tempo pude rever a adaptação cinematográfica de “A Streetcar Named Desire”,   dirigida por Elia Kazan (1951). A peça original foi escrita pelo dramaturgo norte-americano Tennessee Williams e venceu o Prêmio Pultizer em 1947.

Segundo creio eu, essa é uma daquelas obras bem-sucedidas sobre as quais o tempo não atua.

Ouso dizer que é sempre uma novidade, já que nunca envelhece. E talvez isso aconteça porque Tennessee impregnou a narrativa de recorrentes conflitos que espelham com maestria o sustentáculo de alguns dos nossos principais requisitos de sobrevivência, tais como o desejo e o poder. Elaborados e, ao mesmo tempo, notoriamente primitivos, tais requisitos demandam uma energia brutal de cada um de nós.

A realidade nos escapa!

No afã de sobreviver a essa sociedade onde o desejo pela ilusão é cada vez maior, muitas vezes vemo-nos agir como a personagem principal da trama: Blanche DuBois, uma bela e misteriosa mulher com pretensões de virtude e cultura que, através da fantasia, busca dissimular, para si mesma e para os outros, a realidade.

Assim como a peça teatral, o filme é uma obra-prima repleta de personagens complexas, que trazem em sua essência o desejo ardente de reconciliação com a própria verdade.

À la Merveille

 O norte-americano Terrence Malick, aclamado diretor, roteirista e produtor de cinema, é uma daquelas pessoas que se tornam famosas por aparecer muito pouco na mídia.

Apesar disso, é impossível que ele passe despercebido pelo público e tanto menos pela crítica, que considera muitos de seus trabalhos verdadeiras obras de arte.

Depois do recente sucesso “Árvore da vida”, o diretor nos propõe o drama romântico “To the Wonder”, explorando o contraste do amor desviado que se afasta lentamente da entrega ao outro, sob a pulsação de angústias e desejos profundos.

Com nuances autobiográficas, o filme mais apaixonado de Malick se desenvolve através do exame minucioso de suas personagens, muitas vezes por meio de monólogos que se confundem entre o consciente e inconsciente.

O drama romântico “To the Wonder” é estrelado por Ben Affleck, Javier Bardem, Rachel McAdams e Olga Kurylenko e chegará às telas brasileiras no dia 12 de abril de 2013.

Confira a sinopse aqui.

 http://www.youtube.com/watch?v=yMu9OsYgvNM

Fé na Festa

 http://www.youtube.com/watch?v=YT-pEtSzDl8

Gil70, a exposição concebida e organizada pelo poeta e designer gráfico André Vallias em diferentes linguagens e suportes, como pintura, vídeo, fotografia, escultura e instalação, todos com inspiração nas canções de Gil ou dedicados a ele. A mostra acontece em São Paulo para celebrar  os 70 anos de vida e 50 de carreira de Gilberto Gil  e vai até o dia 17 de fevereiro no Itaú Cultural.

Quem estiver em Sampa não pode perder!

 

A vida é um sopro

in memoriam 

Oscar Niemeyer ( Rio de Janeiro, 15 de dezembro de 1907 – Rio de Janeiro, 05 de dezembro de 2012).

 

Confidencial

Picture by Jack Vettriano Picture by Jack Vettriano

Fico contigo

pra não dizer adeus

: é uma secreta elegância.

Cinema em Veneza

Já começou a 69ª edição do Festival Internacional de Cinema de Veneza!

Neste ano, o Festival mais antigo da Europa conta com uma lista de 18 filmes em competição pelo Leão de Ouro e traz cineastas renomados como Brian de Palma e Marco Bellocchio. Por outro lado, também abre suas salas para diversas linguagens estéticas ao exibir, mesmo fora de competição, filmes de produtores menos célebres. E um desses exemplos é o curta-metragem brasileiro “O Afinador”, de Fernando Camargo e Matheus Parizi, selecionado para a mostra Horizonte.

O Festival segue até o dia 08 de setembro.

Flores raras

Bruno Barreto dirige Miranda Otto e Glória Pires Bruno Barreto dirige Miranda Otto e Glória Pires

Filmagens concluídas para o longa-metragem “Flores Raras”.

Baseado no livro “Flores raras e banalíssimas”, de Carmem Lucia de Oliveira, o drama dirigido por Bruno Barreto destaca o romance entre a poetisa Elizabeth Bishop (vencedora do Prêmio Pulitzer de 1956) e a arquiteta Lota Macedo de Soares.

Glória Pires dá vida à arquiteta e paisagista carioca que idealizou o Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. Já a australiana Miranda Otto interpreta a poetisa norte-americana.

Uma viagem despretensiosa de Bishop à América do Sul dá início ao romance entre as duas mulheres que acabam por viver juntas entre 1951 e 1965.  Com o passar do tempo, a relação se deteriora. Lota sofre de depressão e Elizabeth curva-se ao alcoolismo. Em 1967 a escritora parte para os Estados Unidos e parece já viver outro affair. A história de amor culmina com o suicídio da arquiteta em Nova Iorque.

O Longa que se passa no Rio dos anos 50, é falado principalmente em inglês e tem estreia programada para o primeiro semestre de 2013.

Resta saber qual será o impacto do filme sobre o legado de Lota e Elisabeth.

Acima de tudo

Fotografia: Itaciara Poli Fotografia: Itaciara Poli

A sinceridade do instante existe,

dura,

no embaraço dos segundos

que se contraem com gentileza

para fazer passar o desconhecido

e os sinais de suas voragens.

Horas simples correndo

deixam o corpo quase efêmero

estremecer na ênfase da vida,

acima de tudo, sofrida…

Acima de tudo, vivida.

Paisagem da carne

Fotografia: Arno R. Minkkinen

Que me ame

de peito feito,

sem vexame.

Que minha carne

é unânime

pedaço humano

: desejo mundano

sem horizontes

ou meios-tons.